Automóvel


Bicicletas como meio de locomoção: o que saber para se proteger e proteger o ciclista


Com as tardes mais longas e prazerosas da primavera, sair do trabalho e dar uma volta de bicicleta é um bom programa para manter a saúde em ordem e espairecer. Além de ser um excelente exercício, andar de bicicleta contribui para a redução da emissão de CO2. Mas é preciso ter alguns cuidados ao praticar a atividade, principalmente nos grandes centros urbanos.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quando pedalada por pessoas acima de 12 anos, a bicicleta torna-se um veículo e, para se proteger e não machucar ninguém, é preciso seguir as regras previstas na lei.

Andar na rua junto com os carros, onde não houver ciclovia ou ciclofaixa, é uma importante regra, mas desconhecida por muitos. Afinal, calçada é para quem está a pé. Respeitar o semáforo vermelho, exatamente como fazem os carros, é outra regra que a bike deve seguir. Usar capacete ao pedalar não está na lei, mas é extremamente importante. Além disso, é indicado manter a bicicleta equipada com buzina, retrovisores e adesivos refletivos na frente, atrás, dos lados, nas rodas e nos pedais.

Usar roupas claras também é uma atitude de segurança, principalmente para aqueles que pedalam à noite. Lembre-se sempre de sinalizar suas intenções com os braços, um ato fundamental para que, como ciclista, você possa se comunicar com aqueles que estão em outros veículos.

No papel de motorista, proteja quem está de bike, ou seja, não ande colado aos ciclistas e reduza a velocidade. Já trouxemos, nesse post, um pequeno manual da boa convivência no trânsito.

E aí, vai pedalar quando?