Fique atento aos sinais da suspensão do seu veículo

A função do sistema de suspensão é absorver as imperfeições do piso, sem comprometer o conforto e a estabilidade do veículo. A pavimentação muito ruim e os buracos, no entanto, tendem a comprometer a durabilidade de alguns componentes do conjunto.

Pode ser um rangido, uma puxada na direção ou mesmo pneus com desgaste irregular. A suspensão, a exemplo da maioria dos sistemas dos automóveis, normalmente não costuma guardar para si possíveis problemas. Ela sempre vai encontrar alguma forma de denunciá-los. Saiba identificar os sinais para providenciar o reparo (antes que a situação piore) e conduzir com segurança.

Os sinais da suspensão

Ruídos
O sinal mais comum de que algo não vai bem são os ruídos, que podem ser gerados por folga nas buchas de bandeja e nos terminais.

Desgaste dos Pneus
É preciso ficar atento. Em condições normais os pneus devem manter o desenho da banda de rodagem (a que tem contato com o solo) uniforme ao longo da vida. Caso um lado esteja perdendo mais borracha que o outro, é sinal de que há problema de regulagem de geometria.

Vibrações
Vibrações no volante também indicam que as rodas estão desbalanceadas. Nesse caso, é recomendável fazer a correção antes que a falha atinja outras peças do sistema.

O ideal é verificar o conjunto da suspensão a cada 10 mil ou 15 mil quilômetros rodados.

Não deixe de ficar atento também a outros fenômenos do seu veículo e vá suave nas lombadas! Reduza a velocidade ao passar por esses obstáculos e mantenha o veículo em linha reta na passagem, nunca na diagonal.

Quando acionar o seguro de seu carro

Pode parecer simples: tenho um seguro, logo, posso utilizá-lo para reparar qualquer dano. Mas, para que ele te ajude a economizar, a dinâmica exige um pouco mais de cuidado.

A primeira coisa a entender é que existe a franquia do seguro: um valor que se paga quando a seguradora precisa arcar com os danos causados ao veículo. Esse valor pode ser alto quando acionamos o seguro sem necessidade, em caso de pequenos danos (quando o carro é arranhado, um farol quebrado etc.).

O mais recomendado é saber qual o valor de sua franquia e comparar com o preço do reparo. Em algumas situações, o conserto pode sair mais barato e as peças vêm com garantia do fabricante.

Em caso de acidentes que envolvem grandes perdas, identifique o responsável pelos custos gerados. Se você tiver sido o causador, aí sim você deve acionar a seguradora, utilizando sua cobertura para arcar com todas as despesas. A franquia, então, terá um valor menor, e o seguro exercerá sua principal função: garantir sua economia em caso de imprevistos.

Dessa forma, sempre avalie se compensa ou não acionar o seguro de seu automóvel, economizando e garantindo preços menores. Vale lembrar que, em grandes intervalos de tempo, quanto menos sinistros você registrar, maiores serão os pontos acumulados com o seguro e, consequentemente, maiores os descontos que obterá!

Uma coisa é certa: se estiver sempre atento à sua segurança e a dos outros nas ruas, você estará mais protegido contra prejuízos!

Por que investir na manutenção preventiva do seu veículo

Entre os investimentos de início de ano, é necessário incluir a manutenção preventiva de seu veículo.

Esse cuidado não está relacionado apenas à sua própria segurança, mas também à segurança de outros motoristas que dividem ruas, avenidas e estradas com você.

Além de contribuir para ruas e estradas mais seguras, há outros motivos para realizar manutenções preventivas em carros, ônibus, motos, caminhões e até bicicletas:

1. A manutenção preventiva, como o próprio nome diz, previne que seu veículo acumule defeitos nos equipamentos e sofra falhas inesperadas;

2. O procedimento revisa uma série de itens presentes no automóvel, como pneus, amortecedores, batentes, coxins, molas, buchas, braços axiais, bandejas, pivôs e terminais que compõem o sistema de suspensão, fluido de freios, óleo e filtro de óleo, espelhos retrovisores e luzes;

3. Investir no serviço é menos custoso que adquirir peças novas para o veículo;

4. Um amortecedor desgastado pode comprometer a estabilidade e o funcionamento dos freios do veículo, aumentando em até três metros a distância necessária para frenagem;

5. Relacionado ao item anterior, a falta de manutenção está entre as principais causas dos congestionamentos e acidentes de trânsito.

Procure um estabelecimento de confiança, com boas recomendações, e garanta a preservação de seu veículo.