Dicas para se desconectar e aproveitar o dia a dia

Para poder curtir mais os momentos offline, é preciso restringir o uso da Internet para reduzir a ansiedade de querer saber de tudo que acontece. E é isso que profissionais estão exercitando em seu dia a dia com mais frequência.

Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, o Brasil conta hoje com 230 milhões de celulares ativos. Esse número expressivo fez com que mais iniciativas de valorização do tempo offline surgissem, como a do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o ‘Reconecte’, que, além de alertar a população para os riscos do uso excessivo da tecnologia, propõe um desafio ao público: trocar, durante um dia inteiro, o tempo gasto com celulares, computadores e outros dispositivos eletrônicos por atividades offline.

Se você:

1. Dorme com o celular embaixo do travesseiro ou na cabeceira e acorda para responder as mensagens;
2. Fica ansioso e angustiado quando percebe que a bateria está acabando e não está com o carregador;
3. Escuta o alerta de notificação e fica aflito para ler e responder às mensagens rapidamente;
4. Se pega pensando em qual momento poderá mexer no celular novamente;
5. Negligencia atividades importantes para usar o smartphone e, no fim do dia, percebe que foi improdutivo;
6. Tenta reduzir as informações que consome na Internet, mas não consegue;
7. Ignora momentos com familiares e amigos e põe em risco o emprego por não se desconectar das redes;
8. Busca informações quando não precisa, muda de tela continuamente e se sente frustrado por não encontrar nada interessante;
9. Fica se comparando com os outros, achando que a vida deles é mais interessante do que a sua…

É hora de dar um tempo na Internet e nas redes sociais!

Para se desconectar e desintoxicar do mundo digital, confira algumas dicas:

1º) Avalie o tempo que gasta na Internet
Consulte o consumo de dados de seu celular para saber quais apps mais acessa, reduza o tempo gasto nos que estiverem no topo da lista e estabeleça metas diárias de uso.

2º) Reveja sua rotina
Escolha atividades que gostaria de incluir no dia a dia e organize-se para que sejam prioridade em sua agenda.

3°) Faça o que lhe dá prazer
Coloque em sua rotina momentos prazerosos, como música, esporte, arte, culinária, leitura e encontros com amigos ou familiares e garanta que não seja incomodado nesse período.

4°) Offline sem culpa
Quando estiver em seu momento pessoal, liberte-se de responder a mensagens imediatamente, desligue o celular, deixe-o em ‘modo avião’ ou silencie as notificações, preservando apenas grupos e contatos prioritários, como os da família.

5°) Tenha um dia (ou vários) longe da Internet
Experimente ficar fora das redes sociais nas folgas, nos fins de semana e nas férias e use o tempo livre para ler, ver os amigos, viajar e trabalhar em projetos pessoais que não exijam o acesso à rede.

6°) Curta o momento
Experiências devem ser aproveitadas na hora em que acontecem, com quem está a seu lado. Por isso, desligue o celular enquanto almoça com a família ou conversa com amigos.

7°) Seja um líder dando o exemplo
Evite incomodar sua equipe com assuntos profissionais fora do expediente.

No começo pode não ser fácil, mas, com o tempo, o equilíbrio garantirá mais foco, tempo de qualidade com os amigos e familiares e mais saúde. Você estará mais conectado com o que realmente importa!

Fonte: Exame

5 dicas para proteger, organizar e otimizar suas fotos

Apesar da paixão pelo armazenamento de fotos e boas recordações, poucas pessoas se preocupam com a segurança desses arquivos. Com as redes sociais sempre na palma das mãos, muitos utilizam seus perfis para guardar seus registros e tornar o espaço um grande álbum de fotografias.

Mas, como garantir que esses arquivos fotográficos não se perderão durante uma crise qualquer e não serão corrompidos pelos crimes cibernéticos? Por isso, é preciso pensar na segurança de suas lembranças e, logo abaixo, listamos quatro dicas para proteger, organizar e otimizar os seus flashs.

1) Tenha um sistema de armazenamento eficiente, seguro e adequado ao volume de arquivos de dados

Se os seus arquivos não ocupam tanto espaço, investir em um HD externo é uma boa opção. Existem diversas alternativas no mercado com boa capacidade de armazenamento. Mas se você for um colecionador ou se for guardar arquivos de toda a família, o ideal é utilizar um sistema de armazenamento expansível e acessível. Esses sistemas são servidores de armazenamento projetados para usuários que desejam compartilhar arquivos, fazer backup ou expandir a capacidade atual de armazenamento de dados de forma segura e com custos relativamente baixos.

2) Organize-se

Guardar um enorme volume de arquivos exige organização. O ideal é que você separe seus vídeos e filmes por temas, gênero ou ainda por data da produção, para que possa encontrá-los com mais facilidade. As músicas também devem ser organizadas por estilo, com subpastas com os artistas ou bandas. Certifique-se de eliminar arquivos duplicados que ocupam um espaço desnecessário. Para facilitar a organização das fotos, procure colocá-las em ordem cronológica, elimine as duplicadas e faça uma seleção apurada das que estão ruins ou muito parecidas. Perder um tempinho organizando pode representar uma economia de tempo e de um espaço considerável em seus equipamentos.

3) Programe seus backups

Não arrisque suas fotos com momentos especiais ou seus filmes preferidos. Programe backups (cópias de segurança) sistemáticos, em intervalos pré-definidos. Utilize softwares de backup, que facilitam essa programação e possibilitam o backup de todos os dispositivos ligados na rede, como PCs, Smart TVs, tablets e smartphones. Além disso, sistemas de backup oferecem um utilitário automático, chamado NetBak Replicator, para que o usuário possa executar, em tempo real, sincronizações ou agendar backup de vários computadores.

4) Garanta a segurança, sempre

Para garantir a segurança de seus arquivos e dados o melhor a fazer é manter em dia todas as atualizações de sistema e do software de antivírus. Muitas ameaças surgem todos os dias e as atualizações procuram modernizar os processos de segurança contra softwares maliciosos e acessos indevidos. Não descuide da segurança!

Seguindo esses passos e lembrando que o mundo digital também pede segurança (veja dicas para permanecer seguro online), garanta que suas fotos durem uma vida inteira!

Brasil é o 2° país com o maior número de ameaças em softwares

Fonte: Apólice

De acordo com o relatório “Smart Protection Network”, realizado pela empresa multinacional de cibersegurança Trend Micro e que fala sobre o cenário de ameaças digitais globais, o Brasil é o segundo colocado entre os países com o maior número de ransomwares, softwares nocivos que impedem o acesso a sistemas e dados e cobram uma espécie de “resgate” para restabelecê-lo. O país aparece com 10,75% das ameaças globais, atrás apenas dos Estados Unidos (11,05%). Índia, Vietnã e México fecham o ranking dos cinco países com maior número de ameaças.

“Quanto mais conectado está o mundo, mais o número de ameaças aumenta. Os cibercriminosos buscam sempre lucrar, assim, utilizam desde técnicas clássicas, até novas tendências da tecnologia em busca de oportunidades rapidamente rentáveis e que sejam fáceis para aplicar o golpe”, afirma Franzvitor Fiorim, diretor técnico da companhia.

No ano de 2018, a empresa bloqueou mais de 48 bilhões de ameaças no mundo. O total global de ameaças de ransomware, contado de janeiro de 2016 a dezembro de 2018, é de 1,8 bilhões. A contagem é uma combinação de todos os arquivos, URLs e e-mails maliciosos encontrados pela Trend Micro.

O relatório também aponta que o Brasil é o terceiro colocado entre os países com o maior número de ameaças de e-mail bloqueadas, com mais de 2 bilhões identificadas.

Uma das práticas que ocorre é o Comprometimento de E-mail Empresarial (BEC na sigla em inglês), que cria oportunidades para os cibercriminosos ganharem dinheiro. Nesses ataques, eles personificam um executivo de alto escalão para enganar um funcionário (geralmente ligado ao departamento financeiro) para transferir fundos para a conta do autor do golpe.

“O que faz esse tipo de golpe tão eficiente é a engenharia social empregada. Eles criam um ataque detalhado, com e-mails realistas, que incluem os nomes dos alvos e para parecer vir de pessoas de dentro da própria empresa”, explicou Fiorim.

O Brasil está entre os 15 países com mais vítimas afetadas pelo golpe, com mais de 12 milhões de pessoas afetadas e 813 mil endereços bloqueados. Isso demonstra que um mesmo link pode afetar, em média, 15 brasileiros.

O país aparece com mais de 40 milhões de malwares detectados, ocupando a sétima posição entre os 10 países com o maior número de ameaças bloqueadas. Além disso, também é um dos 20 países com o maior número de malwares bancários bloqueados pela companhia. Esse tipo de ataque tem como alvo específico credenciais de usuários de bancos e outras informações relacionadas às contas bancárias. Foram 5.120 ocorrências do tipo.

Segundo o diretor da empresa, com a popularidade dos aplicativos, os cibercriminosos continuam desenvolvendo apps falsos e maliciosos para roubar informações ou realizar outros tipos de ataques. Em uma amostra de mais de 6 milhões de apps, o Brasil está entre os 15 países mais atacados, com mais de 55 mil apps maliciosos.

O especialista alerta que os usuários devem sempre investigar a legitimidade de um aplicativo. “É importante verificar as avaliações de outros usuários e suspeitar se houver pontuações muito positivas ou muito negativas. Isso pode indicar que as revisões reais têm classificação baixa, enquanto bots estão dando a classificação mais alta possível”, explica.