Saiba como passar longe do Aedes aegypti

De acordo com um levantamento do Ministério da Saúde, em 2019, casos de dengue cresceram 264% em 2019. O número de casos registrados chegou a 229 mil nos primeiros meses do ano e o número de mortes também aumentou. Essa é apenas uma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

O mosquito também é responsável pela transmissão da febre amarela, zika vírus e chikungunya. Além do aumento do número de casos de dengue, também cresceu o número de casos de zika. Por isso, é importante seguir alguns cuidados para evitar contrair essas doenças e passar longe do Aedes aegypti.

1°) Para evitar a reprodução do mosquito na sua casa: coloque areia em pratinhos com água, não jogue lixo em terrenos baldios, não deixe água da chuva acumulando sobre a laje e preste atenção a qualquer cantinho que recebe água e pode acumulá-la.

2°) Antes de sair de casa, crie o hábito de passar repelente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica os produtos à base de Icaridina, que oferecem até 12 horas de proteção. Eles podem ser aplicados logo depois do filtro solar, para que ambos os produtos tenham a máxima eficácia possível.

3°) Segundo estudos, o Aedes aegypti tem atração pelo suor e roupas escuras. Em dias mais quentes, priorize o uso de peças claras, leves e que cubram boa parte do corpo.

4°) Não deixe de fazer os exames de rotina. Em caso de sintomas similares aos da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus, procure a unidade de saúde mais próxima e consulte um médico.

5°) Para uma proteção ainda maior contra o vírus da febre amarela, o ideal é tomar vacina contra a doença. Antes de passar pelo procedimento, contudo, é indicado pedir orientação médica. Chikungunya e zika vírus ainda não possuem prevenção por vacina. A bula da vacina da dengue (Dengvaxia) mudou recentemente a pedido da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, após pesquisas sugerirem que os pacientes sem histórico de infecção podem desenvolver quadros mais graves se tomarem a vacina e, depois, forem picados pelo mosquito.

5 dicas de bem-estar para um Carnaval ainda mais seguro

Já trouxemos cuidados para manter sua segurança em meio à multidão dos bloquinhos de Carnaval. Mas, para complementar ainda mais seu conforto, trouxemos cinco dicas para garantir seu bem-estar durante a folia.

Antes de sair de casa, confira se está preparado para as seguintes situações:

1. Dormir e se alimentar bem deixam o sistema imunológico fortalecido e cheio de energia para a curtição do Carnaval. Antes da folia, mesmo na rotina agitada do dia a dia, cuide-se bem, faça boas escolhas na alimentação e procure seguir as horas recomendadas de sono.

2. Os bloquinhos acontecem embaixo de sol ou de chuva. No verão, não esqueça de passar protetor solar para curtir a festa numa boa, sem risco de se queimar.

3. Se você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não! Por isso, entre os itens que deve carregar consigo, leve uma garrafinha de água, ou reserve uma quantia em dinheiro para gastar com bebidas que contribuam para manter o corpo hidratado, como água de coco ou isotônicos.

4. Você pode se destacar com a roupa que usará nos dias de Carnaval, mas não deixe de investir em peças confortáveis, que favoreçam a ventilação e facilitem a evaporação do suor. Evite calças jeans muito justas e aposte em bonés, viseiras, chapéus e óculos de sol para proteger o rosto.

5. Cuidado com os banheiros químicos e com a lotação dos banheiros dos estabelecimentos próximos aos blocos, que pode deixá-los com a limpeza a desejar. Para cuidar da higiene pessoal (sobretudo no caso das mulheres), carregue um frasco pequeno de álcool em gel e pedaços de papel higiênico. Não custa se prevenir!

Em clima de festa, bem-estar e segurança devem vir sempre em primeiro lugar!

Dê um play nas marchinhas e curta essa época do ano com animação!

Câncer de mama tem cura: saiba como se prevenir!

O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização para a saúde da mulher, especificamente para incentivar o diagnóstico precoce do câncer de mama.

A doença, muitas vezes imperceptível, exige, além do autoexame periódico das mamas, a realização do exame de imagem (mamografia), muito eficaz para a identificação de nódulos na região dos seios.

Quando o câncer é identificado rapidamente, os índices de cura são ainda maiores, ficando em torno de 95%.

Mulheres que possuem entre 40 e 69 anos devem ficar ainda mais atentas à própria saúde, já que a idade é um fator que influencia no desenvolvimento do câncer de mama.

Outras situações que merecem atenção são:
– Histórico de câncer de mama ou câncer de ovário em mulheres da família;
– Mulheres que nunca amamentaram;
– Mulheres que tiveram filhos após 30 anos de idade ou não tiveram;
– Mulheres que menstruaram com menos de 10 anos de idade.

Por isso, esteja atenta e procure seu médico se:
– Tiver dor nas mamas fora do período pré-menstrual;
– Notar a presença de algum nódulo;
– Observar edema, retração, ulceração, sangramento, distorção do mamilo ou alteração na aréola.

Uma vida segura começa com a saúde sempre em dia. Previna-se!