Dispositivos Móveis


Seguro de celular: música para seus ouvidos!


No Brasil, já existem mais celulares do que pessoas. Segundo estatísticas da Teleco, são mais de 230 milhões de celulares no país, o que demonstra o quanto esses aparelhos vão além de suas funcionalidades e são considerados pelas pessoas uma extensão de suas vidas.

Entre as importantes funções desempenhadas por esses dispositivos está a de prover música digital. De acordo com estudo recente da All About Music, mais de 80% dos brasileiros escutam música por meio do smartphone, nos deslocamentos diários, enquanto estudam, trabalham, jogam videogame, entre outras atividades.

Assim, quem investe em um celular, entende a importância de cuidar desse bem, para evitar um prejuízo que pode pesar no bolso. Como imprevistos sempre podem acontecer, como queda do aparelho, roubos ou furtos, ter um seguro celular pode ser uma boa opção.

Para isso, três pré-requisitos são importantes: 1) ter em mãos sempre a nota fiscal do aparelho para que você seja indenizado; 2) ter anotado o número do IMEI (ao digitar *#06# no telefone); e 3) o celular ter sido comprado no Brasil. É essencial também que você avalie as coberturas oferecidas pelas seguradoras para investir naquela que mais te ajudará em caso de sinistro e leia atentamente o contrato do seguro.

Entre as coberturas oferecidas estão:

– Contra roubo ou furto qualificado – para quando há violência, ameaça ou quando alguém arromba uma casa e furta um telefone celular. Entre todas as modalidades de seguro para celular, a contra roubo é a mais barata de todas elas, uma vez que essa é a forma de proteção mais básica e mais procurada pelos usuários, devido ao alto índice de furtos que ocorrem. Atenção: na modalidade de seguro para celular contra roubo não são cobertos furtos simples e perdas. Assim, se você está num bar com os amigos, paga a conta, levanta, vai embora e deixa o seu telefone sobre a mesa, por exemplo, as seguradoras classificarão a ocorrência como “perda involuntária ou furto simples” e você não será indenizado.

– Contra queda e quebra acidental – para as situações nas quais o celular cai e deixa de funcionar. Nesses casos, o reparo sempre será a primeira alternativa. Caso não seja possível consertar o problema, a seguradora deve efetuar a troca do aparelho, por um modelo igual ou similar. A última alternativa é a indenização em dinheiro.

– Contra queda acidental de líquidos – Nesse caso, a prioridade será sempre o conserto do aparelho e, se não houver como, o ressarcimento do valor segurado.

Escolha a opção perfeita para você, garantindo o celular sempre na palma da mão e, claro, as trilhas sonoras da sua rotina!